Home

ANTES DE ENVIAR SUAS DÚVIDAS POR E-MAIL, VERIFIQUE SE AS RESPOSTAS

ABAIXO ATENDEM ÀS SUAS PERGUNTAS

Perguntas e Respostas (fale conosco)

Voltar à página principal
Visite:
Aprendizado Maçônico  
             
Como Afiliar-se
              Como ser Maçom?
              Grupo de Estudos

Este questionário visa dirimir as dúvidas mais freqüentes entre os Maçons e os que
ainda não foram Iniciados em Loja maçônica. Caso não encontre resposta para sua pergunta, entre em contato conosco por meio do número de telefone (19) 3875-6628, impreterivelmente no horário das 14h00min às 17h00min, de Segunda à Sexta-Feira (horário Brasília).

Se após ler este questionário você não encontrou a resposta para sua pergunta, entre em contato com o Instituto Paramaçônico de Estudos e Pesquisas através do número de telefone (19) 3875-6621 impreterivelmente no horário das 14h00min às 17h00min (horário Brasília), de Segunda à Sexta-feira..

1) O I.'.P.'. E.'. P.'. é juridicamente regular?

Sim. O I.'. P.'. E.'. P.'. possuí personalidade jurídica e está registra em todos os Órgãos competentes, inclusive na Secretaria da Receita Federal do governo brasileiro.

2) O I.'. P.'. E.'. P.'. é uma Obediência maçônica? O que significa o termos regular e irregular?

Esta é uma preocupação, de uma pequena parte dos Internautas, que realmente procede. Nos dias atuais, e com o advento da Internet, devemos ficar atentos a tudo que oferece facilidade, portanto, prontamente respondemos que o I.'. P.'. E.'. P.'. não é uma Obediência maçônica, tampouco está subordinado à alguma outra Instituição Maçônica. O I.'. P.'. E.'. P.'. é um Instituto, da qual muitos que já são Maçons, e muitos que ainda não são, mas possuem este desejo em seus corações, se afiliaram para receberem estudos sobre a filosofia e simbolismos maçônicos, criarem Grupos de Estudos e se aprimorarem no conhecimento da Maçonaria Universal.

Mesmo o I.'. P.'. E.'. P.'. não sendo caracterizado como uma Obediência maçônica, tampouco se enquadra nos adjetivos de regularidade ou irregularidade maçônica, acreditamos ser extremamente relevante, para os Afiliados, esclarecermos quanto aos termos "regular" e "irregular", visto que dessa maneira entenderão um pouco mais das formas governamentais da Maçonaria.

Muitas das perguntas parecem ser simples, mas carecem de explicações fundamentadas para que a real compreensão de nossos princípios sejam atingidas, o que nos obriga, tornar esta resposta um pouco longa. Primeiramente é preciso deixar claro de que maneira são estabelecidos os estranhos conceitos de regularidade e irregularidade de uma Obediência (ou Potência) maçônica.

Existem no Brasil mais de 70 Obediências maçônicas e poucas se consideram regulares entre si. Tem-se a impressão de que existe, em Maçonaria, hoje em dia, uma verdadeira preocupação, ou até obsessão pela regularidade. Mas o que é isto? Quem é regular ou irregular? Em 1965 o escritor e membro da Grande Loja Nacional Francesa, Jean Baylot, em seu livro Dossier Français de la Franc-Maçonnerie Régulière, compreende a regularidade apenas na obrigatoriedade da crença em Deus, ou seja, se a Potência (Obediência) maçônica só admite afiliados que são crentes em um Ser Criador, então é considerada "regular".

Embora o Grande Oriente da França seja a maior Potência maçônica francesa, foi considerado irregular pela Grande Loja Unida da França, devido uma
grande reforma dogmática, que estabelecia o fim da obrigatoriedade da crença em Deus.

Mesmo acatando o conceito de regularidade como sendo a obrigatoriedade da crença em Deus, a Grande Loja Unida da Inglaterra não reconhece como "regular" centenas de Obediências, espalhadas no mundo, que seguem princípio de afiliarem homens que creiam em Deus. No caso específico do Brasil a Grande Loja da Inglaterra não reconhece como "regular" a maioria das Obediências maçônicas existentes, tais como os Grandes Orientes independentes estaduais, e somente a bem pouco tempo deu o cunho de "regulares" às Grandes Lojas Estaduais.

A princípio torna-se difícil compreender porque não são consideradas regulares se estas Obediências cumprem os requisitos para a regularidade.
Podemos entender da seguinte maneira: Existem Obediências maçônicas que são consideradas regulares entre si, mas uma delas pode não reconhecer uma outra como regular e vice-versa. O exemplo típico é a própria maçonaria inglesa que tem como concorrente de regularidade a maçonaria norte-americana.

A cada ano, nos Estado Unidos da América, é editado um boletim circular denominado "Lest og Lodge", contendo o nome de todas as Obediências e Lojas
consideradas, do ponto de vista norte-americano, como regulares. Isso quer dizer que se um Maçom, de qualquer parte do mundo, visitar uma Loja e a que ele pertence não estiver na lista, não poderá entrar, mesmo que os sinais de reconhecimento e os procedimentos para o ingresso ao Templo sejam universais.

Não se sabe precisar qual é o motivo destes dogmáticos requisitos particulares para o reconhecimento regular, uma vez que não são fundamentados, mais parecendo uma vaidade humana.

Diante destes fatos correntes dentro da Maçonaria Universal, podemos concluir o quanto são estranhos os conceitos de regularidade e irregularidade entre as Obediências Maçônicas, que na verdade dividem, ainda mais, uma Maçonaria, que por princípios, deveria ser unida. Em verdade parece ser mais uma divisão de poderes, uma vez que não podemos concluir quem deu poderes a determinadas Obediências de reconhecerem outras como regular ou irregular.

Muitas das perguntas não foram exatamente formuladas da maneira em que as descrevemos, mas as respostas, certamente, satisfazem. Vamos às respostas:

A) Que tipo de Instituto é esse? Qual é o critério de "aceitação" das
propostas de "Afiliação"?

R:) No site oficial do I.'. P.'. E.'. P.'. está claro que os segredos maçônicos de identificação não são revelados nos "Pergaminhos", apenas são transmitido de forma clara e real a filosofia e os simbolismos maçônicos, orientando o Afiliado a uma conduta reta para com a sociedade e respeito absoluto para com a família. Além disso, o I.'. P.'. E.'. P.'. defende o resgate dos antigos mistérios (místicos) que foram retirados da Maçonaria. Combate veementemente a prática mecânica dos Rituais e a instrução por uma simples leitura, e estes são os motivos de, por meio dos "Pergaminhos" serem transmitidos valorosos conhecimentos maçônicos.

O que o I.'. P.'. E.'. P.'. faz é uma maneira de expandir a filosofia maçônica, que é perfeita para a humanidade, para àqueles que a procuram; sem critérios rigorosos, uma vez que não serão revelados segredos. Acreditamos que dessa maneira a seleção
é cósmica. Um Irmão nos disse estas sábias palavras: "A Maçonaria é como o mar. Rejeita tudo o que com ela não se amalgama e funde; a maré encarrega-se de levar à terra os corpos estranhos, assim também os destroços da Iniciação".

Todo esse processo de orientação por meio de Pergaminhos, nada mais é que a transmissão da filosofia e do simbolismo maçônicos de maneira orientada.

Muitos Maçons conhecem apenas um pequeno universo maçônico e obviamente muitos não possuem a noção exata dos símbolos e alegorias maçônicas, que constituem no plano físico uma realidade interna, não podem de maneira alguma apreender a força moral desse conjunto de orientações capaz de fazer a felicidade do ser humano, criando verdadeiros construtores sociais. É fácil constatar que muitos Maçons ignoram quase tudo acerca da Ciência Maçônica, e que se sentiriam muito embaraçados para explicar por que tal palavra hebraica é tida como sagrada ou porque a decoração simbólica de todo Templo maçônico se assemelha muito ao Templo de Salomão (Reis), ou porque se anda em um único sentido no interior do Templo, ou o que significa os elementos alquímicos sal, mercúrio e o enxofre que se encontravam no interior da câmara de reflexões no ato de suas Iniciações, ou ainda o que significa a sigla V.I.T.R.I.O.L. da qual, também no seu primeiro dia de Maçonaria lhe foi apresentado. A orientação de toda essa filosofia e simbolismos foi "criminosamente" banida de nossas reuniões por irmãos que fizeram e fazem um esforço tremendo para transformar a Maçonaria em um clube bem próximo de ser profano ou uma simples corporação de ação social. 

Nem mesmo, muitos dos que estão há anos nas Lojas maçônicas, sabem os significados desses símbolos, da qual foram-lhe apresentados em seu primeiro dia na Maçonaria. Com certeza buscarão imediatamente tais conhecimentos após lerem esse texto, temendo serem constrangidos diante de tais perguntas; em serem obrigados, até por questão de ética, afirmarem que realmente não sabem nada de Maçonaria e pensavam que sabiam.

Logicamente o conhecimento maçônico não se resume nas respostas dos símbolos acima, mas os argumentos expostos até aqui, têm como escopo demonstrar que muitos maçons, apenas permanecem nas Lojas por uma questão de status, sem se interar da verdadeira Ciência Maçônica; criticam outras Obediências e brigam pela questão de regularidade, mas não sabem sequer quais os parâmetros que determinam a regularidade maçônica.

Não podemos mais permitir que façam isso com a Maçonaria. Não podemos mais permitir que deixem muitos galgarem os Graus da Maçonaria sem atestar que realmente possuem o conhecimento do simbolismo e filosofia do Grau em que estavam. É muito comum encontrarmos irmãos, da qual não sabem sequer os sinais, toques e palavras do Grau a que se está colado, e logo em seguida são novamente “promovido”. O I.'. P.'. E.'. P.'. defende um estudo criterioso, sábio e concatenado sobre a verdadeira Maçonaria Universal.

Quando o Mestre Maçom atinge os três Graus, chega ao limiar da Maçonaria Simbólica. A partir daí, pode perceber que muitas perguntas poderão ocorrer: Agora que sou Mestre, o que fazer? Qual o meu papel? Quais são as minhas obrigações para com meus Irmãos e minha Loja? Qual a minha responsabilidade para com a sociedade? Será que realmente venci minhas paixões?

Durante todos estes interstícios podemos observar muitos fatos, principalmente no que se refere à simbologia e responsabilidades do Mestre Maçom. O Mestre Maçom tem a obrigação de se instruir para poder instruir. Tudo em Maçonaria tem uma grande razão de existir. Se a Maçonaria fosse uma simples corporação de ação social, por que existem então estes mistérios, esta linguagem e estes símbolos? Se tudo isso não serve pra nada suprimamo-lo. Mas se, sob estes símbolos se oculta uma grande Verdade cujo conhecimento pode conduzir, ao amor, à ações retas para com a sociedade, ao respeito à família e a adaptações sociais libertadoras da humanidade, e ao mesmo tempo nos afasta da discórdia, do ódio, do vício e da guerra, então estudemos esta Ciência Maçônica com todo o respeito que lhe é devido.

Quanto a divulgação virtual da Maçonaria pela Internet e partindo da argumentação de que a Maçonaria está postada de maneira indevida na Internet, onde atualmente encontram-se textos dos mais diversos Graus e informações que Maçons regulares levam muito tempo para conseguir ter acesso, se faz necessário com urgência uma atenção toda especial dos responsáveis para que esse progresso seja guiado, orientado como instrumento de evolução e desenvolvimento e não destruidor do que está construído. Neste caso, o I.'. P.'. E.'. P.'. não se enquadra.

B) Maçom iniciado em outra potencia pode filiar-se no I.'. P.'. E.'. P.'..? 

R:) Logicamente que Sim. O I.'. P.'. E.'. P.'. não sendo, portanto, uma Obediência (Instituição) maçônica, todo Maçom tem a liberdade e pode se afiliar a ele para receber e estudar seus Pergaminhos. O conhecimento adquirido pelos estudos são imensuráveis.

C) Pessoas que ainda não se tornaram Maçons podem se afiliar ao I.'. P.'. E.'. P.'.? Receberão estudos iguais aos que já são Maçons.

R:) Sim. Todos podem se afiliar ao I.'. P.'. E.'. P.'., e receberão estudos iguais, sem distinção, aos que já são Iniciados em Loja maçônica.

D) No caso de um Afiliado já ser Iniciado em Loja e estar colado em um alto Grau de estudo, ele poderá se afiliar ao I.'. P.'. E.'. P.'.?

R:) Sim. Este é um paradoxo que já foi muito debatido, entretanto chegou-se a conclusão que nossos princípios de estudos são direcionados ao intelecto e à espiritualidade, destarte, não seria possível reconhecer, para fins de conhecimento maçônico, os Graus colados em Obediências que não exigem prova da compreensão do simbolismo. O Afiliado obrigatoriamente tem que estudar todas os Pergaminhos. Muitos Maçons que já são afiliados em outras Obediências, quando se afiliam no I.'. P.'. E.'. P.'. pedem quebra de interstício alegando que já estão em Graus mais avançados, mas quando iniciam seus estudos, ao contrário, passam a estudar cada Grau intensamente, pois verificam o quão são valorosos tais ensinamentos.


3) Morando em outro Estado, que não seja São Paulo, poderei afiliar-me ao Instituto Paramaçônico de Estudos e Pesquisas ?

   R: Sim, o Membro afiliado ao Instituto Paramaçônico de Estudos e Pesquisas recebe, em qualquer parte do Brasil e do mundo, Pergaminhos Oficiais, com lições, pesquisas e Estudos Maçônicos que constituem uma revelação fascinante dos mistérios da vida, e realizará estudos regulares em sua casa. Visite a página: Aprendizado Maçônico.


4) Existem vários tipos de Maçonaria ?

   R: A Maçonaria é Universal e seus princípios também o são, no entanto existem nomes e governos Maçônicos diferentes, identificados como "Obediências ou Potências Maçônicas" para as quais cada um  é soberano em suas decisões. O I.'. P.'. E.'. P.'. não é uma Obediência maçônica, seu próprio nome revela sua identidade, e por este motivo, muitos Maçons se afiliam à ele.


6) Preciso me reunir com outros Maçons para poder aprender e desenvolver minhas potencialidades? Como farei isso sem as reuniões ritualísticas?

   R: O I.'. P.'. E.'. P.'. adota um sistema de estudos, originado de antigos filósofos Maçons, que em ambiente preparado em suas residências, e por meio de um estudo sistemático, que se assemelha ao sistema da Ordem Rosa Cruz, o indivíduo orientado, e não doutrinado, a uma filosofia de vida perfeita, poderá aprender e desenvolver as práticas mentais, filosóficas, espirituais, sociais e poderes latentes no homem. Além disso, o I.'. P.'. E.'. P.'. incentiva a criação de Grupos de Estudos.


7) Mulheres podem se afiliar ao Instituto Paramaçônico de Estudos e Pesquisas?

   R: O Instituto Paramaçônico de Estudos e Pesquisas transmite os ensinamentos maçônicos de maneira universal. Defendemos a tradição maçônica das Obediências iniciarem em Loja somente homens livres e de bons costumes, no entanto defendemos que, no que tange aos estudos, não há diferença entre o espírito da mulher e do homem, portanto, como já dito, quanto aos estudos, todos possuem o mesmo direito de se desenvolverem no Universo em que vivem..


8) A Maçonaria sempre exigiu uma investigação pessoal e social do candidato à afiliação. Através da Internet, estaria o I.'. P.'. E.'. P.'. dando oportunidade às pessoas de má índole de utilizarem os ensinamentos maçônicos para se identificarem como Maçons ?

   R: Como dito anteriormente, o I.'. P.'. E.'. P.'. não revela as formas de identificação dos Maçons. Quanto aos estudos, ao contrário do Brasil, nos Estados Unidos da América, é o candidato quem procura a Loja ou a Ordem para ser iniciado e estudar Maçonaria. Acreditamos que o indivíduo orientado, e não doutrinado, a uma filosofia de vida, justa e perfeita, poderá subir os degraus da escada, rumo à perfeição. Se uma filosofia é perfeita, por que não colocá-la ao alcance daqueles que a procuram, já que está mais do que provado que os maiores segredos da Maçonaria Universal estão nas maneiras de identificação do Maçom, ou seja, sinais, toques e palavras?


9) Para ser Maçom é necessário renunciar à religião a qual se pertence?  

   R: Não, porque a Maçonaria abriga em seu seio homens de qualquer religião, desde que acreditem em um só Criador, o Grande Arquiteto do Universo, que é Deus. Geralmente existe essa crença entre os católicos, mas, ilustres prelados têm pertencido à Ordem Maçônica; entre outros, o Cura Hidalgo, Paladino da Liberdade Mexicana; o Padre Calvo, fundador da Maçonaria na América Central; o Arcebispo da Venezuela, Don Ramon Ignácio Mendez, Padre Diogo Antônio Feijó; Cônegos Luiz Vieira, José da Silva de Oliveira Rolin, da Inconfidência Mineira, Frei Miguelino, Frei Caneca e muitos outros.


10) Qual a relação do I.'. P.'. E.'. P.'. com outras Potências, Obediências ou Instituições maçônicas?

   R: Para muitos, Maçonaria é uma única Instituição. No entanto existem formas de governos diferentes, soberanos e independentes entre si; e isso é que a separa e a difere de outras organizações. O I.'. P.'. E.'. P.'. não é uma Obediência maçônica, tampouco dissidente de uma Instituição específica; nasceu da união de Irmãos de várias Instituições maçônicas, da qual notaram a falta de espiritualidade na Maçonaria atual, e no intuito de resgata-la e repugnando a pratica mecânica dos Rituais, desenvolveram o sistema de ensino por meio dos Pergaminhos, portanto, o I.'. P.'. E.'. P.'. é uma Instituição Paramaçônica.


Veja também: Como ser Maçom ?  

Página Principal: I.'. P.'. E.'. P.'.


EDITORA MAÇÔNICA BRASILEIRA

INSTITUTO PARAMAÇÔNICO DE ESTUDOS E PESQUISAS

Caixa Postal 251